Equipe de avaliação do ranking dos municípios do ES recebe treinamento da Transparência Capixaba

 

 

Os estudantes universitários e profissionais selecionados para avaliar o Ranking Capixaba de Transparência e Governança Pública 2024 receberam orientação on-line da Transparência Capixaba, nesta quarta-feira (27). Os candidatos vão avaliar os sites, portais de Transparência e redes sociais dos 78 municípios capixabas.

A avaliação será feita de maneira remota, no período de abril a junho, e vai contar com a supervisão da equipe da Transparência Capixaba e do Espírito em Ação. Para mensurar a transparência, os candidatos farão uso da metodologia de Índice de Transparência e Governança Pública (ITGP), desenvolvido pela Transparência Internacional – Brasil.

O Índice classifica os entes avaliados em formato de ranking e atribui notas entre 0 e 100 pontos, e quanto maior a nota, melhores os níveis de transparência, destacou a diretora executiva da Transparência Capixaba, Adila Barbosa. “A partir da metodologia o município tem um importante indicador para acompanhar a sua progressão e auxiliar a gestão pública na definição de medidas para melhorias contínuas”.

No treinamento, os voluntários conferiram como será feita a avaliação e o cronograma de atividades. Serão cinco horas semanais dedicadas para uma avaliação condizente com as propostas dos indicadores a serem medidos para cada município.

Apoio institucional

Pelo segundo ano consecutivo, todos os municípios capixabas serão avaliados. O ES em Ação, parceiro institucional para a realização da segunda edição da avaliação, auxiliou no trabalho de parceria com as instituições de ensino Emescam, Fucape, Faesa, Novo Milênio, Unisales e Universidade Vila Velha para mobilizar voluntários.

O Ranking tem o objetivo de estimular as prefeituras municipais do Estado a melhorarem suas ações de transparência, participação cidadã, abertura de dados, transformação digital, acesso à informação e combate à corrupção.

É uma proposta da Transparência Capixaba, organização que busca mobilizar a sociedade capixaba para que os casos de corrupção no Espírito Santo não caiam no esquecimento por falta de empenho das autoridades e de cobrança social e fiquem impunes. Assim, é possível mostrar à sociedade que a administração pública pode funcionar desde que haja controle e que os cidadãos exerçam vigilância constante.