Notícias

15/06/2012 | STJ tem nova ouvidora e inicia adaptação à Lei 12.527


Foi publicado no Diário Oficial da União, desta quinta-feira (14/6), o nome da nova ouvidora do Superior Tribunal de Justiça. Tereza Cristina Jurema Garrido, servidora do STJ há nove anos, foi indicada pelo ministro Cesar Asfor Rocha, diretor da ouvidoria.
Criada em 2004, a ouvidoria foi renovada recentemente com o objetivo de incentivar a participação popular e fomentar uma cultura administrativa de foco no cidadão. Ela acompanha consultas, presta esclarecimentos e recebe críticas, denúncias e elogios. Também sugere o aperfeiçoamento das atividades desenvolvidas pelas demais unidades administrativas.
Manifestações anônimas ou referentes a outros órgãos e denúncias de fatos que constituam crimes não serão consideradas, em vista da competência constitucional própria do Ministério Público e das polícias. Nessas duas últimas hipóteses, o cidadão será orientado a buscar os órgãos competentes.
O atendimento é feito pessoalmente, na Central de Atendimento ao Cidadão (CAC), e pelo telefone (61) 3319-6802, no horário de funcionamento do Tribunal. Também é possível utilizar o formulário eletrônico, ou enviar e-mail ou carta, para o endereço STJ/Ouvidoria - SAFS, Quadra 6, Lote 1, Trecho III, CEP 70095-900, Brasília - DF.
Na noite da última quarta-feira (13/6), em sessão do Pleno, os ministros do STJ decidiram que a corte vai disponibilizar toda e qualquer informação solicitada pelo cidadão, de acordo com o que foi determinado pela Lei de Acesso à Informação. Para tanto, vão ser editados atos normativos, seguindo o exemplo do Tribunal Superior doTrabalho.
Revista Consultor Jurídico, 14 de junho de 2012



Leia também:

03/05/2019
Nota: falta de transparência no corte de verbas no ensino superior é preocupante.

20/02/2019
ESCOLHA DO NOVO CONSELHEIRO: CRITÉRIOS POLÍTICOS QUE SEGUEM DESAGRADANDO A SOCIEDADE CIVIL E A POPULAÇÃO CAPIXABA

29/01/2019
Das nomeações para cargos do governo do Estado do Espírito Santo

27/01/2019
NOTA: Resistir é preciso De Mariana à Brumadinho impera a ineficiência e irresponsabilidade pública e privada

04/01/2019
NOTA: Inciso aprovado no estatuto do COAF gera preocupação



(c) 2009-2020. Transparência Capixaba - Todos os direitos reservados.
Porto