Notícias

08/11/2012 | Solidariedade da Transparência Capixaba ao professor, pesquisador e jornalista Sérgio Denícoli


O professor, pesquisador e jornalista capixaba, Sérgio Denícoli, está sob a ameaça de ser processado pela Portugal Telecom e pelo órgão regulador das comunicações daquele país por conta da sua tese de doutorado, que defendeu na última terça-feira e que apontou indícios de corrupção envolvendo a empresa e a instituição pública (que teria sido conivente). A notícia está em todos os jornais. Pode ver uma delas na RTP, no link https://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=IiNVbXrd2mM.

Diversos professores universitários portugueses lançaram uma petição
online que já tem mais de mil assinaturas, em defesa da liberdade de
investigação acadêmica, que está no link http://www.peticaopublica.com/PeticaoVer.aspx?pi=P2012N31407.

A Transparência Capixaba está totalmente solidária ao professor, pesquisador e jornalista Sérgio Denícoli.

A liberdade de pesquisa acadêmica é, para nós, uma liberdade civil, tão fundamental e cara para o ambiente democrático e cidadão da sociedade internacional, quanto a liberdade de imprensa, de expressão, de associação, de organização e de manifestação, entre outras.

Não é possível, nem aceitável, esse tipo de cerceamento que querem impor tanto a empresa quanto o órgão regulador das comunicações em Portugal.

Se discordam da tese defendida pelo douto pesquisador, que façam um comunicado, que apresentem a sua versão dos fatos, que se defendam publicamente, que apontem - se porventura existir - algum incoerência no que foi exposto.

Fazemos nossas, portanto, as palavras do manifesto público de solidariedade a Sérgio Denícoli, quando demandam:

- Manifestar apoio ao Doutor Sérgio Denicoli pelo trabalho desenvolvido, pela pertinência e oportunidade do estudo levado a cabo e pelos resultados obtidos nas suas provas de doutoramento;

- Afirmar perante a sociedade e os diferentes poderes - político, econômico ou outro - que a liberdade acadêmica é um requisito essencial da atividade científica e que devem ser vigorosamente combatidas as tentativas de a pôr em causa;

- Chamar a atenção para a relevância social das investigações que se propõem contribuir para iluminar os problemas e situações com que se debatem as sociedades em que vivemos;

- Exigir das autoridades acadêmicas que facultem enquadramento e suporte, nomeadamente jurídico, aos seus investigadores, em especial àqueles que lidam com matérias melindrosas e de impacto público;

- Denunciar publicamente toda e qualquer tentativa que pretenda condicionar a investigação científica e atemorizar ou silenciar os investigadores.

Vitória, 7 de novembro de 2012
Transparência Capixaba
"Contra a corrupção, a favor da liberdade acadêmica"



Leia também:

03/05/2019
Nota: falta de transparência no corte de verbas no ensino superior é preocupante.

20/02/2019
ESCOLHA DO NOVO CONSELHEIRO: CRITÉRIOS POLÍTICOS QUE SEGUEM DESAGRADANDO A SOCIEDADE CIVIL E A POPULAÇÃO CAPIXABA

29/01/2019
Das nomeações para cargos do governo do Estado do Espírito Santo

27/01/2019
NOTA: Resistir é preciso De Mariana à Brumadinho impera a ineficiência e irresponsabilidade pública e privada

04/01/2019
NOTA: Inciso aprovado no estatuto do COAF gera preocupação



(c) 2009-2020. Transparência Capixaba - Todos os direitos reservados.
Porto