Artigo

A ética e a moral

Salvador Bonomo
ex- Deputado estadual, constituinte, e Promotor de Justiça, aposentado.



Há quem sustente que não existe diferença semântica entre Ética e Moral. Diferentes são as origens dos vocábulos, pois a Ética vem do grego "ethos" e a Moral provém do latim "mos, ris", que significa costume. Ética é o conjunto de valores que orientam o comportamento do homem em relação aos outros homens na Sociedade. A Moral, por seu turno,  é o conjunto de normas que regulam o comportamento dos homens em Sociedade. Lá, um conjunto de valores. Aqui, um conjunto de normas. Sustenta-se, também, que a Ética é a forma pela qual o homem deve se comportar no meio social. É a ciência da conduta humana. Está ela intimamente relacionada ao caráter das pessoas. A Ética seria a ciência que estuda a conduta humana e a moral seria a qualidade desta conduta. A Ética não se confunde com a lei, embora, com certa frequência, a lei tenha como base princípios éticos. A Ética se restringe ao campo particular do caráter e da conduta humana, à medida em que se relacionada a certos princípios morais. Em termos gerais, a Ética e a Moral são valores do homem livre.

A propósito desses conceitos, ouso afirmar ser inegável que, no Brasil, vivemos, hoje, uma profunda crise ético-moral. Em sendo assim, aqueles mais comprometidos com a ética, com a moral, com a cidadania, com o bem-estar do povo, com a justiça e com a imagem e com os destinos do País, devem ter uma preocupação maior, sobretudo na véspera de um processo eleitoral de âmbito municipal, objetivando-se a escolha dos melhores dentre os inúmeros pretendentes aos cargos de Vereador e de Prefeito. Devemos estar alertas para o fato de que, em razão da referida crise, a tônica da próxima campanha se revestirá, sem dúvida, da ornamentação ética e moral. E é exatamente aí que mora o perigo, porque difícil será a escolha dos melhores, posto que todos (os éticos e os aéticos, os morais e os amorais) se vestirão com o mesmo uniforme, ornamentado pela ética e pela moral. Assim sendo, todo cuidado será pouco, porquanto muitos desses filmes já foram vistos, muitas vezes, ao longo do tempo, dentre as quais podemos destacar três, que são as seguintes:  

1ª) - Em 1960, na campanha política para a Presidência da República, concorreram dois candidatos: Marechal Henrique Teixeira Lott, pela situação, e Jânio da Silva Quadros, pela oposição. Jânio Quadros, contraditório, falso moralista e demagogo, fez a sua campanha explorando, sobretudo, a moralidade pública, o que fez centrando-se no seguinte mote: "Varre, varre vassourinha Varre a bandalheira que o povo já está cansado de sofrer dessa maneira Jânio Quadros é a esperança desse povo abandonado". Elegeu-se com 5.600 mil votos, a maior votação até então obtida no Brasil. Mas, imotivadamente, seis meses depois da posse (311 a 25I861), renunciou ao cargo, lançando, irresponsavelmente, a população brasileira à beira de uma guerra civil. Fui testemunha ocular, pois estudava no Rio de Janeiro desde 1958.

2ª) - Em 1989, houve outra campanha para a Presidência da República - aliás, a primeira eleição direta, depois do regime militar - em que concorreram Ulisses Guimarães (PMDB), Mário Covas (PSDB), Paulo Maluf (PDS), Leonel Brizola (PDT), Fernando Collor de Mello (PRN) e Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Foram para o segundo turno Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e Fernando Collor de Mello (PRN). Fernando Collor, quando ainda Governador de Alagoas, sob a capa demagógica de combater a corrupção, de combater os "marajás" (políticos e funcionários públicos que recebiam altos salários) e defender os interesses dos "descamisados" (os pobres), ganhou a eleição com 35 milhões de votos, contra 30 milhões do seu adversário, Lula. Mal tomou posse, iniciou a implantação do chamado "Plano de Reconstrução Nacional", que visava o congelamento de preços, de salários, e o confisco de depósitos bancários, o que se efetivou. Daí veio a queda de sua popularidade, inclusive no Congresso Nacional, onde seu Partido (PRN) era inexpressivo. Somou-se a isso denúncia de extenso esquema de corrupção, denúncia feita inclusive pelo próprio irmão, Pedro Collor de Mello. Abriu-se uma CPI, que, além de vinculá-lo ao seu ex-Caixa de Campanha, Paulo César Farias (PC Farias), apontava para seu impeachment. Foram para as ruas os estudantes, os "caras-pintadas". Para não ser cassado, renunciou ao cargo e se criou grande tumulto político no País. 

3ª) - Há aproximadamente três semanas, um destacado e valente Senador da nossa República - Demóstenes Torres (ex-DEM-GO)  - colocando-se acima do bem e do mal, arvorando-se vigilante da moral, achando-se senhor acima de qualquer suspeita e paladino da moralidade pública, deixou, bruscamente, cair a própria máscara, despindo-se por inteiro. De respeitado e destemido Senador, transformou-se, repentinamente, em serviçal do contraventor Carlo Augusto de Almeida Ramos, o Carlinhos Cachoeira. Segundo informações de bastidores, galopando no lombo da ética e da moralidade e, assim, desejando enganar a população brasileira, almejava, repetindo os feitos dos atores acima, chegar, também, à Presidência da República, dentro em breve.

Conclusão: felizmente, em relação ao Senador Demóstenes Torres, aplica-se o pensamento de Abraham Lincoln, qual seja, o de que "Podemos enganar alguns por todo tempo, todos por algum tempo, mas não podemos enganar todos por todo tempo". Mas tal máxima poderá, também, ser aplicada aos dez Vereadores da Serra (ES) e a tantos outros deste Estado e do País, que aumentaram exageradamente os próprios salários, porque, sendo desprovidos de ética e de moral, não tem condições de representar o povo com zelo, com dignidade e com altivez. Aproximando-se o pleito eleitoral de âmbito municipal, é oportuno e conveniente que todas as pessoas e entidades que tiverem compromisso com o aperfeiçoamento da Democracia dos nossos sonhos, comecem a movimentar-se para que, num primeiro momento, os Partidos Políticos lancem bons candidatos e que, num segundo momento, os eleitores escolham, dentre os bons, os melhores.






(c) 2009-2013. Transparência Capixaba - Todos os direitos reservados. Porto - Internet de Resultados.
Porto - Internet de Resultados